sábado, 26 de maio de 2012

Residencial Jardins da Cidade - Canoas

Projeto para o Residencial Jardins da Cidade - Alameda das Tulipas - Canoas
Banheiro com gavetas e basculante, a iluminação no espelho combinando com as pastilhas no box!!!


Na cozinha, aéreos basculantes... cooktop e coifa para uma cozinha mais moderna...
Puxadores acoplados dão um charme a cozinha e ocupam menos espaço... 


 No outro lado a torre para forno e microondas de embutir, além do refrigerador, com aéreos basculantes logo acima.... e uma bancada de apoio a lanches rápidos, para que não necessite o deslocamento até a sala de jantar...


 No quarto do casal, visando maior aproveitamento de armários, a cama foi embutida entre os armários, e foi utilizado o outro lado também com armários, com portas de correr para embutir a TV e o DVD alí também...




No dormitório Solteiro, armários com portas de correr... uma bancada em "L" para estudo e notebook...
Aéreos para apoio no estudo e guardar material.... A cama com auxiliar,  para eventuais necessidades...
O papel de parede bem feminino e delicado...




 Na sala um home bem simples, mas bem funcional, painel inteiro para esconder os fios dos eletrônicos...
Combinando com o home, a sala de jantar, com um painel que avança até o teto, e um rebaixo, feito de madeira mesmo, para iluminação com fitas de LED, um espelho para dar amplitude ao espaço e decorar a sala de jantar...
Além disso, um móvel aparador, com pulsador, para guardar louças....




sexta-feira, 18 de maio de 2012

Casa nova: Por onde começar???

Grande, pequena, alugada: não importa! Sair de baixo das asas dos pais e conquistar a independência em uma casa nova sempre dá um frio na barriga. E se faltar grana para decorar do seu jeitinho? O que você preciso comprar primeiro?

Segundo a arquiteta Débora Roy, “é sempre uma expectativa muito grande, sempre queremos construi um cantinho aconchegante, é bom sempre nos concentrarmos nas peças onde irá muita distribuição...


Fonte: Casa e Jardim


... geralmente, em ambientes menores principalmente, começar pela sala, comprando o sofá, pois é uma peça maior e que faz parte de todo o projeto...”

 
Fonte: Casa e Jardim


Decidimos primeiro a cor dos móveis ou a cor da parede?
“...eu me concentraria em quais peças eu vou utilizar, cor de sofá, cor de poltrona....

 
Fonte: Casa e Jardim


... começaria fazendo o que a gente chama de layout, e daí por diante ver qual a peça que vai ter a cor mais forte, alguns clientes já gostam de tonalidades fortes, quentes, outras já gostam mais neutros, e eu acho que isso tem que ser respeitado, o seu gosto e a sua preferência.”
 
Fonte: Casa e Jardim


Ao definir o primeiro layout, passamos então pelas peças que chamam a atenção, aquelas que merecem um destaque, e é em cima delas que será feita a decoração... Já que falamos no sofá, se o mesmo for neutro, a decoração ou mesmo a pintura podem fortes, se o mesmo tiver um tom marcante, a decoração pode ser mais neutra...

Definido isso, é que são definidos os revestimentos, por isso a importância de um profissional da área de interiores para lhe auxiliar, e a importância de um projeto antes da compra de qualquer utensílio ou eletrodomésticos e eletrônicos, pois fazemos o projeto ao nosso gosto e necessidade, não para adaptar a uma compra “mal-pensada”. Escolha as coisas com calma, defina cores e revestimentos.

A iluminação é extremamente importante após a definição do layout, pois já sabemos as áreas onde se necessitam mais ou menos luz, e tente sempre aproveitar ao máximo a iluminação natural.

Layout definido!!! No caso de reformas, comece sempre pelo gesso, pois o mesmo faz muito pó, e depois que as coisas estão instaladas, pode se tornar um problema. E através do gesso, já instalamos a parte elétrica da iluminação.

 
Fonte: http://www.freewords.com.br/imovel/decoracao-de-sala-com-gesso


Siga pela colocação de piso e depois a pintura. Coloque os móveis e depois os rodapés. Entre com cortinas e tapeçarias, que dão um ótimo acabamento ao espaço. Instale eletrônicos e eletrodomésticos. E por último os elementos decorativos.

 
Fonte: http://www.fotosdedecoracao.com/


E pronto, é só se mudar!!!!!!


sexta-feira, 11 de maio de 2012

Cozinha e home...

Mais uma da série cozinha e home...
A cozinha com cores neutras, misturando o branco, cinza e preto...

A bancada de apoio, serve também para guardar mantimentos... e ao lado já o armário da lavanderia...

O home... já com cores mais escuras, se destaca... e da bancada sai uma mesa nos mesmos padrões de cores...



Mesa em preto com tampo de vidro...

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Hi-Lo na decoração...

O conceito Hi-lo (abreviatura para a expressão “high and low”) pegou forte. Essa tendência, que torço eu, perdure muitos e muitos anos, surgiu em uma época de expectativas crescentes e orçamentos reduzidos, forçando os fashionistas de plantão a mesclarem peças clássicas e “caras” com outras mais “economicas”, vindas de lojas populares, brechós e até mesmo do buraco negro de nossos closets.

A capa da revista Vogue de fevereiro. A capa já diz tudo.

Fonte: http://erikakarpuk.wordpress.com/

 

Fonte: http://www.decosustentavel.com.br/


Na decoração, essa tendência pode juntar móveis caros com os famosos caixotes de feira, ou com outros objetos ainda mais inusitados.
Combine peças Hi Lo e dê um charme descolado aos seus ambientes.
O High and Low (ou hi-lo) surgiu na moda nos anos 1990, onde eram usadas num mesmo look peças mais sofisticadas combinadas com outras mais básicas.

Esse mesmo conceito também é bastante aplicado a decoração hoje. Nele os ambientes são compostos por um mix de elementos que possuem contrastes entre si - com cores, formas, preços e/ ou materiais opostos. Por exemplo, peças antigas agrupadas com outras mais atuais, objetos caros com os de valor menor.

As peças low podem ser encontradas em lojas de comércio popular, em homecenters, feirinhas de móveis usados. Já as high podem são ser compradas em lojas especializadas em objetos de bom design.

Fontes: http://www.casa.com.br


Aqui o hi-lo pode ser percebido no contraste entre a mesa de centro de madeira bruta com outros objetos de material sintético, tais como a cadeira Louis Ghost e a luminária. A mistura nesse caso proporcionou equilíbrio...
O ponto alto fica por conta de uma ou outra peça mais cara, ou até mesmo em algum móvel, o ponto baixo está relacionado ao custo da maioria dos itens, que são objetos mais simples, encontrados em qualquer lugar, mas que, nem por isso deixam de ser requintados.
Qualquer ambiente pode ser montado ou redecorado, inspirado nessa nova tendência, e o mais legal é que dá para economizar um bom dinheiro.

 

Fonte: http://www.patricinhaesperta.com.br/


Esse estilo é muito chique e fácil de seguir, com bom gosto, criatividade e pouco dinheiro, dá para transformar qualquer cantinho ou a casa toda.



Fonte: http://opopular.lugarcerto.com.br/


No quarto de hotel, a estrutura original da laje foi pintada de preto para disfarçar as imperfeições e evitar o uso de gesso. A iluminação do teto, feita com calhas metálicas e lâmpadas balloon, barateou os custos da obra e deu um tom jovial e inovador ao ambiente.. Outra alternativa foi desenhar o closet e contratar um serralheiro para concretizar a estrutura, coberta vom calha translúcida e com iluminação interna. “Ficou muito mais barato do que comprar um guarda-roupa e ainda deixou a iluminação interna como um ponto especial da decoração”, explica a arquiteta Manuela Dantas, que deixou o high do ambiente por conta dos móveis e da boa qualidade. Projeto: Manuela Dantas, Filipe Mont Serrta e Virginia Manfrinato, da Esquadra Arquitetos, para a Mostra Morar mais por Menos.


Fonte: http://opopular.lugarcerto.com.br/


A sala da TV conserva ao máximo a base original, tornando, assim, uma obra simples e barata. Ela deixa o toque de luxo para o mobiliário. As vigas e a laje de concreto ficam aparentes no teto, com a iluminação em trilhos para distribuir e direcionar melhor os pontos de luz. Ao lado da bancada, luminárias de baixo custo unidas em conjunto dão um up no ambiente. O nicho revestido por madeira e caixote deixa à mostra pequenas obras de arte que requerem um pouco mais de dinheiro. A tapeçaria, que, de acordo com a arquiteta Maira Cantiere, foi o mais caro da obra, traz glamour e aconchego.

Projeto: Maira Cantiere, Beth Rosso, Maria Gondim, Sandra Feltrim, da Prima Linea, para a mostra Morar Mais por Menos.